Each1 Lyrics

Freestyle by Each1


[Verso 1]
Entrei no beat sem motivo, é só que o sono não me bate
E eu deitado a pensar que nada cai do céu
A quem espera sentado, aguardo mais um dia
Em que não faço um chavo
Sozinho no quarto, excepto o isqueiro e o ta****
Já que na verdade 'tou menos sóbrio
Agora que já não sou drogado
De facto faz um ano que já não faço um charro
Bateu-me a saudade
Não há ganza mas há Jack na sala, 'tá p'ra ser usado
E claro que com a cabeça às volta eu me sinto menos quadrado
Mas mais na realidade, agora que imagino o quadro
Quanto mais parvo fico pro mundo, mais eu me sinto enquadrado
Digo coisas sem sеntido, já tou pronto p'a ser escutado
Sinto-me num filmе em Espanha porque já vejo tudo dobrado
Amanhã entro cedo e hoje é tarde, que se foda em parte
Ao menos já tou com a farda p'a aguentar com o fardo
E uma desculpa fixe p'ra achar que o que eu faço tem significado:
"Sara desculpa o meu atraso, tive a fazer arte."
Não vou ficar à parte, vou pregar-te um beijo
Dizer-te o quanto és linda sem te fazer justiça
A menos que eu gagueje
Enquanto penso na Jessica
Sem as*ento no 'é'
Seria a única coisa aguda aqui
Mas como não tem, não é
Tem calma mor
Se me ouvires que se foda 'quê que nos resta?
Cagaste em tudo o que eu te disse das outras vezes
É só mais esta
Atesta mais um copo
'Tou em festa comigo próprio, resta meia garrafa
Desta vez não fico sóbrio porque vou curtir!
Qualquer verso me parece comigo
Sinto-me um verdadeiro rapper, incapaz de seguir um tópico
Sou eu e eu e eu tamos os três aqui no pódio
A fazer piças a vocês que dizem "f**k you"
Como se fock you ofendesse mas isso nem insulta
Só resulta em mais vontade de vos bater na nuca
Nunca entrei nessa dispu** chunga em suma
as*umo o rap do Porto e não o tuga
Mantenho a atitude enquanto a vossa muda
Anos 90 não é a vossa praia
Mas se o rap o fosse, eu tava aqui de sunga
A fazer só o que me apetece, 'tou-me a cagar po que tu julgas
Eu não sigo correntes bro, eu cuspo o mar onde te afundas
Mato quem acha que isto é canja
Manja um gajo a fazer ondas pa te deixar na prancha
Que se fodam mixas
O rap parece o Porto, só turistas
Nem nas padarias se vêm tantas bichas
Como o Virtus diz: "É só artistas"
Duas dicas depois não te aguentas
Bro eu mato pistas, tu matas a pica
Em tudo o que tu entras
AMR a bombar na pu** da tua zona
Queres ter vida p'a nós? 'Tão come a sopa
Basta um vipe do Syze vai logo a cidade toda
És tão pequeno que nem à frente do Sol nos fazes sombra
Aqui o que conta é a intenção e a minha crew é foda
Se pa ti o que conta é a entoação a tua que se foda
Eu sei que tou com a moral, mas entende o azedume
É que por mais que esprema rappers só sai sangue
Nunca sumo
Queres sair do sítio só que não tens como
Então no fundo
Quando te mando à merda é p'ra te dar um rumo
Vai com tudo
Chavalas ao lado p'a mostrar que são uns homens
Depois fazem sons de amor mas só as comem
Esses dramas não comovem
Fazem sons pa pista, nem o meu cú movem
Estas merdas só vos batem porque vocês não absorvem!
Não importa o que consomem
Vim só causar desordem, conto poetas pelos dedos
Talvez sobrem, ninguém anda p'a frente
O que é que há p'a correr mal se vocês nem correm?
'Tou fora do tempo, o vosso amanhã pra mim foi ontem
Ah pois é, não me chegam aos calcanhares nem que se esforcem
Nem se puxarem pela cabeça vocês podem chegar-me ao pé
Então desendem, digo de forma franca
Que nem que me pare o relógio, isso vos adianta
Sou como um projéctil no vácuo, nunca mais abranda
A tua laia sem pernas p'a andar e nem as*im se manca
Sala cheia de gente burra para ouvir quem canta
É que essa merda é tão chunga que nem sequer os maus espanta
É som p'a anca? 'Tou fora desse lambda
Escrevo tantas rimas que guardo os blocos na varanda
Então achantra, já te pus os pés na campa
Se recebesse em proporção do que eu faço
Era pior que o BES p'a banca
O rap tuga é uma merda
Eu digo-te: "Anda"
Ao ritmo que te enterras, não tarda tu tas no under
Sa foda o peso do meu nome, bro fora de tanga
Dobrava outdoors se um dia me fizessem propaganda
O estilo é venenoso, até se arrasta como cobras
Moço até um trolha rasca embelezava as tuas obras
Nem em sonhos me tocavas com palavras
Vê se acordas
Tenho dicas tão pesadas que engordavas só com as sobras

[Verso 2]
Sentido inverso ao de que não sabe ser honesto com um gajo
Não deixo de andar pro lado certo porque o resto não vai
Enquanto acendo mais um prego e coordeno o banzai
Só pa dar com os pés a esses chonés como se fizesse muay thai
Antecipo o pessoal a fazer frete, eu acerto e não falho
São muitos anos a rachar pedra e o prédio não cai
Noutro Universo a realidade parece sci-fi
Certo que ninguém chega ao meu tecto quando trepo o andaime
É que plataformas de rap só falam de rappers com hype
E falham naquilo que lhes compete
Como esses dreads no mic, até criticam quem é wack
Em concreto o que eu acho
É que quando sai um ganda som p'a net
Ninguém o mete no site
Que se foda quem diz que isto é fat e não percebe um caralho
Mas esse pessoal já nos conhece e reconhece o trabalho
Fechem os olhos ao Porto que adianta um grosso
Cada vez que pico o ponto, 'tou a fazer ver os cegos com o braile

[Interlúdio]
Uhhh, bem
Se calhar eu devia explicar esta dica
E é as*im, epáh
Basicamente, o Porto é uma cidade que está a 300km acima de Lisboa, só isso

[Verso 3]
Entre a espada e a parede na ponta certa
Moço agora espeta o pescoço em vez da meta
Eu nunca vou fazer um rap merdoso pa andar na berra
Isto é real, alías, se um gajo não fosse, ninguém o era
É esse o foco bixo, dá pa ver logo que eu não suporto lixo
Se fodes isto, muito boa sorte e um bico no cóccix
Tá fora de hipótese nós sermos próximos
Se proxys são um meio de transporte, os nossos são ovnis
Aqui não conta se a tua peça tem batido
O que me as*ombra é saber se o que a gente prega faz sentido
Outra coisa nada contra quem se entrega só pelo guito
Olha eu tou mixo e fico mais na merda sempre que faço um disco
Reconheço neste momento que nesse nível não vingo
O meu interesse é ser coeso o resto vê-se no fim
O que penso é muito intenso pa que me perdesse no limbo
É que eu pertenço a um mundo denso
Que não tem um preço pra mim
Excepto a minha crew e três ou quatro
Não coexistimos no plano, quanto mais na profundidade
Na verdade, prefiro andar num mundo à parte
Este é mais cansativo do que atravessar o Douro a nado
Sou de frases e acutilante como Umberto Eco
Tu és chato e irritante como um beto cego
Sem ofensa, não ando a treinar com mecos
Vou dormir, até logo
se*to Sentido, AMR


Each1 lyrics are property and copyright of their owners.
All lyrics provided for educational purposes and personal use only.
Commercial use is not allowed.

Comments

Search: Each1 / Freestyle